.addthis_toolbox{text-align:center;}.custom_images a{width:32px;height:32px;padding:0} .addthis_toolbox .custom_images a:hover img{opacity:1} .addthis_toolbox .custom_images a img{opacity:0.50}

*******

*******

sexta-feira, 26 de junho de 2009

A bunda que engraçada

De: Carlos Drummond

A bunda, que engraçada.
Está sempre sorrindo, nunca é trágica.

Não lhe importa o que vai
pela frente do corpo. A bunda basta-se.
Existe algo mais? Talvez os seios.
Ora – murmura a bunda – esses garotos
ainda lhes falta muito que estudar.

A bunda são duas luas gêmeas
em rotundo meneio. Anda por si
na cadência mimosa, no milagre
de ser duas em uma, plenamente.

A bunda se diverte
por conta própria. E ama.
Na cama agita-se. Montanhas
avolumam-se, descem. Ondas batendo
numa praia infinita.

Lá vai sorrindo a bunda. Vai feliz
na carícia de ser e balançar.
Esferas harmoniosas sobre o caos.

A bunda é a bunda,
rebunda.




-->


terça-feira, 23 de junho de 2009

Tantra Totem da Boa Sorte

A Maturidade do Dalai Lama aspergida sobre o mundo, via Internet.

 Sua Santidade o 14.º Dalai Lama


Dê mais às pessoas do que elas esperam e faça com alegria.

Decore o seu poema favorito.

Não acredite em tudo que você ouve, gaste tudo o que você tem e durma tanto quanto você queira.

Quando disser "Eu te amo" seja verdadeiro.

Quando disser "Sinto muito" olhe as pessoas nos olhos.

Fique noivo pelo menos seis meses antes de se casar.

Acredite em amor à primeira vista.

Nunca ria dos sonhos de outras pessoas.

Ame profundamente e com paixão. Você pode se
machucar, mas é a única forma de viver a vida completamente.

Em desentendimento, brigue de forma justa. Não use palavrões.

Não julgue as pessoas pelos seus parentes.

Fale devagar mas pense com rapidez. Quando alguém
perguntar algo que você não quer responder, sorria e pergunte "Por que você quer saber?"

Lembre-se que grandes amores e grandes conquistas envolvem riscos.

Ligue para sua mãe.

Diga "Saúde" quando alguém espirrar.

Quando você se der conta que cometeu um erro, tome as atitudes necessárias.

Quando você perder, não perca a lição.

Lembre-se dos três Rs: Respeito por si próprio, Respeito ao próximo e Responsabilidade pelas ações.

Não deixe uma pequena disputa ferir uma grande amizade.

Sorria ao atender o telefone. A pessoa que estiver chamando ouvirá isso em sua voz.

Case com alguém que você goste de conversar. Ao envelhecerem suas aptidões de conversação serão tão importantes quanto qualquer outra.

Passe mais tempo sozinho.

Abra seus braços para as mudanças, mas não abra mão de seus valores.

Lembre-se de que o silêncio, às vezes, é a melhor resposta.

Leia mais livros e assista menos TV.

Viva uma vida boa e honrada. Assim, quando você ficar mais velho e olhar para trás você poderá aproveitá-la mais uma vez.

Confie em Deus, mas tranque o carro.

Uma atmosfera de amor em sua casa é muito importante.

Faça tudo que puder para criar um lar tranquilo e com harmonia.

Em desentendimento com entes queridos, enfoque a situação atual. Não fale do passado.

Leia o que está nas entrelinhas.

Reparta o seu conhecimento. É uma forma de alcançar a imortalidade.

Seja gentil com o planeta.

Reze. Há um poder incomensurável nisso.

Nunca interrompa enquanto estiver sendo elogiado.

Cuide da sua própria vida.

Não confie em alguém que não feche os seus olhos enquanto beija.

Uma vez por ano vá a algum lugar onde nunca esteve antes.

Se você ganhar muito dinheiro coloque-o a serviço de ajudar os outros enquanto você for vivo. Esta é a maior satisfação da riqueza.

Lembre-se que o melhor relacionamento é aquele onde o amor de um pelo outro é maior do que a necessidade de um pelo outro.

Julgue seu sucesso pelas coisas que você teve que renunciar para consegui-lo.

Lembre-se de que seu caráter é seu destino.

Usufrua o amor e a culinária com abandono total.




sábado, 20 de junho de 2009

A Cobra e o Vaga-lume

Autor Desconhecido

    Conta a lenda que uma vez uma cobra começou a perseguir um vaga-lume.
    Este fugia rápido, com medo da feroz predadora e a cobra nem pensar em desistir.
    Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada...
    No terceiro dia, já sem forças o vaga-lume parou e disse a cobra:
    - Posso lhe fazer três perguntas?
    - Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou te devorar mesmo, pode perguntar...
    - Pertenço a sua cadeia alimentar ?
    - Não.
    - Eu te fiz algum mal?
    - Não.
    - Então, por que você quer acabar comigo?
    - Porque não suporto ver você brilhar...

No Caminho, com Maiakóvski

Eduardo Alves da Costa

Assim como a criança
humildemente afaga
a imagem do herói,
assim me aproximo de ti, Maiakóvski.
Não importa o que me possa acontecer
por andar ombro a ombro
com um poeta soviético.
Lendo teus versos,
aprendi a ter coragem.

Tu sabes,
conheces melhor do que eu
a velha história.
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

Nos dias que correm
a ninguém é dado
repousar a cabeça
alheia ao terror.
Os humildes baixam a cerviz;
e nós, que não temos pacto algum
com os senhores do mundo,
por temor nos calamos.
No silêncio de me quarto
a ousadia me afogueia as faces
e eu fantasio um levante;
mas manhã,
diante do juiz,
talvez meus lábios
calem a verdade
como um foco de germes
capaz de me destruir.

Olho ao redor
e o que vejo
e acabo por repetir
são mentiras.
Mal sabe a criança dizer mãe
e a propaganda lhe destrói a consciência.
A mim, quase me arrastam
pela gola do paletó
à porta do templo
e me pedem que aguarde
até que a Democracia
se digne aparecer no balcão.
Mas eu sei,
porque não estou amedrontado
a ponto de cegar, que ela tem uma espada
a lhe espetar as costelas
e o riso que nos mostra
é uma tênue cortina
lançada sobre os arsenais.

Vamos ao campo
e não os vemos ao nosso lado,
no plantio.
Mas ao tempo da colheita
lá estão
e acabam por nos roubar
até o último grão de trigo.
Dizem-nos que de nós emana o poder
mas sempre o temos contra nós.
Dizem-nos que é preciso
defender nossos lares
mas se nos rebelamos contra a opressão
é sobre nós que marcham os soldados.

E por temor eu me calo,
por temor aceito a condição
de falso democrata
e rotulo meus gestos
com a palavra liberdade,
procurando, num sorriso,
esconder minha dor
diante de meus superiores.
Mas dentro de mim,
com a potência de um milhão de vozes,
o coração grita - MENTIRA!




Ouçam-me fofoqueiro

MARLY CORREIA
      
Não vou fingir ser inocente.
Detesto as pessoas que têm dinheiro
E as que não têm.
Odeio os que têm o que comer,
Mas, principalmente,os que têm fome.

Obedeço às leis dos homens,
Não me importa com o que sofre;
Se choram, e daí?
“cada macaco no seu galho”
Só a mim importa ...

Não gosta dos encontros marcados,
Nem dos casuais.
Ignoro casamento corretos,
Ou imorais.
Sei que tenho pecados,
Os  quais omito,ou finjo
Que só os outro têm.

Ignoro a Deus, aos homens e ao dinheiro
Para mim,tudo isso é carnificina.
Se sou babaca ,
Mesquinha, antiquada,
Não quero seu sorriso, ou sua lágrima.
Só quero, simplesmente,
Que não olhem para mim!
Minha vidinha mediocre
Não é peça
Para os hipócritas assistirem.



terça-feira, 16 de junho de 2009

OS FILHOS (Do Livro "O Profeta" - Kahlil Gibran)

Do Livro "O Profeta" - Kahlil Gibran

Uma mulher que carregava o filho nos braços disse: "Fala-nos dos filhos."
E ele falou:
Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável. 



O Amor ( Kahlil Gibran)

De: Kahlil Gibran

E alguém disse:
Fala-nos do Amor:

- Quando o amor vos fizer sinal, segui-o;
ainda que os seus caminhos sejam duros e difíceis.
E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos;
ainda que a espada escondida na sua plumagem
vos possa ferir.

E quando vos falar, acreditai nele;
apesar de a sua voz
poder quebrar os vossos sonhos
como o vento norte ao sacudir os jardins.

Porque assim como o vosso amor
vos engrandece, também deve crucificar-vos
E assim como se eleva à vossa altura
e acaricia os ramos mais frágeis
que tremem ao sol,
também penetrará até às raízes
sacudindo o seu apego à terra.

Como braçadas de trigo vos leva.
Malha-vos até ficardes nus.
Passa-vos pelo crivo
para vos livrar do joio.
Mói-vos até à brancura.
Amassa-vos até ficardes maleáveis.

Então entrega-vos ao seu fogo,
para poderdes ser
o pão sagrado no festim de Deus.

Tudo isto vos fará o amor,
para poderdes conhecer os segredos
do vosso coração,
e por este conhecimento vos tornardes
o coração da Vida.

Mas, se no vosso medo,
buscais apenas a paz do amor,
o prazer do amor,
então mais vale cobrir a nudez
e sair do campo do amor,
a caminho do mundo sem estações,
onde podereis rir,
mas nunca todos os vossos risos,
e chorar,
mas nunca todas as vossas lágrimas.

O amor só dá de si mesmo,
e só recebe de si mesmo.

O amor não possui
nem quer ser possuído.

Porque o amor basta ao amor.

E não penseis
que podeis guiar o curso do amor;
porque o amor, se vos escolher,
marcará ele o vosso curso.

O amor não tem outro desejo
senão consumar-se.

Mas se amarem e tiverem desejos,
deverão se estes:
Fundir-se e ser um regato corrente
a cantar a sua melodia à noite.

Conhecer a dor da excessiva ternura.
Ser ferido pela própria inteligência do amor,
e sangrar de bom grado e alegremente.

Acordar de manhã com o coração cheio
e agradecer outro dia de amor.

Descansar ao meio dia
e meditar no êxtase do amor.

Voltar a casa ao crepúsculo
e adormecer tendo no coração
uma prece pelo bem amado,
e na boca, um canto de louvor. 

***

"A verdade de outra pessoa não está no que ela te revela, mas naquilo que não pode revelar-te.Portanto, se quiseres compreendê-la, não escutes o que ela diz, mas antes, o que não diz" - Khalil Gibran


quinta-feira, 11 de junho de 2009

Etiqueta - Comer de boca aberta!?


      Os seus modos falarão por você. Não adianta da uma de esnobe e falar um monte de besteiras e vantagens  (como uma carrada de pobre besta que conheço). Não adiante a roupa mais cara, o adorno mais raro ou o penteado mais bonito. O que vai falar bem (ou mal) de você são as suas atitudes, o seu comportamento que, em meio a outras pessoas educadas, certamente valerá  mais do que tudo isso. “Educação é uma moeda de ouro em todo canto vale.” (Henrique Musashi Ribeiro)

•    Não encha demais o garfo ou colher.
•    Não encha demais a boca.
•    Não mastigue de boca aberta. Isso é nojento!
•    Nunca fale de boca cheia.
•    Não voe no prato como se não comesse à semanas. Tem gente que come “se despedindo” da vida!
•    Coloque pequenas porções de comida de cada vez no garfo.
•    Não faça aquele barulho horrível ao tomar sopa, chá, café ou qualquer outro líquido quente.
•    Jamais aponte com o talher, ou melhor, não aponte para ninguém.
•    Não coma usando a faca ao invés do gafo ou a leve a boca até o prato.
•    Não coma fazendo barulho.
•    Não como com o pé apoiado no acento na cadeira e nem se escore na mesa como se fosse dormir.
•    Não brinque com o guardanapo, com o copo, com talheres ou com a toalha.
•    Não coma com as mãos, a não ser que o alimento exija.
•    Se seu garfo caiu no chão não abaixe para apanhá-lo. Chame o garçom e peça outro.
•    Se for num jantar informal, avise a pessoa que está servindo a mesa ou, em último caso, comunique discretamente a dona da casa.
•    Se você engoliu acidentalmente um caroço de azeitona ou uma espinha de peixe, relaxe, tire da boca discretamente, com a ajuda do garfo sem legendar a situação. Agora, se sentir que vai sufocar, não hesite em pedir ajuda.
•    Antes de beber durante a refeição, passe levemente o guardanapo nos lábios e depois mate sua sede. Devagar, em pequenos goles.
•    Nada de palitar os dente à mesa e pior ainda é apalitar e ficar "chupando os entredentes" fazendo barulho um certo bicho hematófago. Se estiver muito incomodado com algum resíduo nos dentes, peça licença quando julgar oportuno e vá ao banheiro para usar o fio dental.
•    Ao terminar, posicione o talher paralelamente ao prato.
•    Não empurre o prato ao terminar de comer.
•    Ao terminar, não dobre o guardanapo, apenas deixe-o displicentemente em cima da mesa. Assim, a pessoa que for recolher saberá que foi utilizado.
•    Aprenda a enrolar o macarrão no garfo para comê-lo.
•    Quando for se servir de alguma bebida, ou comer um pedaço de pão, descanse os talheres.
•    Não deixe a colher dentro da xícara de chá ou café, ou da vasilha de sorvete ou outra sobremesa.
•    Não beba muito.
•    “Atchim !!!” Não dá para segurar o espirro? Coloque o mão em concha sobre o nariz e os lábios e tente espirrar sem fazer barulho, mantendo a boca fechada. Caso seja imprescindível assoar o nariz durante a refeição, procure fazer o mínimo de ruído e cubra a mão direita, que estará com o lenço, com a esquerda.
•    “Com licença volto logo...”  Essa é a melhor saída para quando se precisa ir ao banheiro no meio de um jantar. Sempre discreto(a) peça licença à pessoa sentada ao seu lado, tomando o cuidado de não interrompê-la se ela estiver falando. 


*****DICA*****

      As regras básicas de colocação da mesa são as mesmas para uma refeição formal ou informal, embora o cardápio dite os talheres a serem usados. Para evitar lotar a mesa, alguns dos talheres podem ser trazidos à mesa junto com os pratos.
    Independentemente dos pratos a serem servidos, coloque os talheres na ordem de uso, de fora para dentro. poupe espaço, colocando o garfo e a colher de sobremesa acima do pratinho. Disponha os copos acima dos talheres, no canto direito, com o copo de vinho na direção da faca principal.


1. Taça grande para vinho tinto
2. Colher de sobremesa acima do garfo
3. Copo de água
4. Faca de Manteiga
5. Prato para o primeiro prato
6. Taça pequena para vinho branco
7. Guardanapo sobre o prato lateral
8. Garfos à esquerda do prato na ordem do uso
9. Facas e colher à direita do prato, as lâminas viradas para o prato

 

Etiqueta Básica de Boteco


A Convocação

     Brother que é brother, não convida. Convoca. Isso quando é necessário. Pois muitos brothers tem dias sagrados, já pré-determinados. Seja uma reunião as quintas, um happy hour às sextas ou o jogo de quarta.
     Caso não seja esse o caso, brothers devem convocar os outros pelo meio de comunicação a mão. Vale Twitter, Facebook, SMS, Email, Telefone ou gritando na frente do prédio.
     O convite não deve conter mais do que duas palavras. As palavras recomendadas são o nome do bar, da bebida ou um pronome de tratamento ofensivo. Alguma menção a horário vale também. Exemplos: “Boteco, já”, “Vagabundo, cerveja”, “Puto, 18:00”.

A Chegada

     O primeiro a chegar ao bar escolhe a mesa, se essa não for pré-determinada. Abre os trabalhos com a bebida de preferência, e não pede petiscos até a chegada de um segundo integrante.
     O segundo a chegar deve ser recebido pelo primeiro com duas cortesias principais. Primeira: Pedir uma bebida/copo para o recém chegado. Segunda: Atualiza-lo das mesas interessantes ao redor. Avisar quem está lá de conhecido, qual mulher é gata, qual deu uma olhada e se tem namorada, ex-namorada ou amiga de namorada de alguém no recinto.
     O mesmo processo deve ser repetido para todos os integrantes da mesa que chegarem. Com a adição de algum pronome ofensivo e uma reclamação e/ou gozação. Exemplos: “Tava dando a bunda é viado? Que demora do cacete”. Essa ação é progressiva até o último que chegar. Não importa as razões deste ter chegado depois.


O Convívio

     A mesa pode ter três climas distintosCelebração, Afogamento ou Neutro. De cara eliminamos o Neutro, que após as duas primeiras rodadas se torna Celebração.
     Celebração exige atenção especial ao celebrado. Se este trocou de emprego, comprou um carro, comeu boi no rolete ou se livrou da ex-mulher, todos devem brindar a conquista. Se alguém tiver um problema com isso que engula. É o dia do brother, amanhã reclama.
     Afogamento - Certas mesas de bar são formadas para o popular afogamento de mágoas. Se um brother foi despedido, capotou o carro, comeu comida podre da sogra ou levou um pé da ex-mulher, todos devem brindar com bebida pesada. Whisky, vodka, tequila e cachaça são aceitos. Ninguém deve falar como sua própria vida está maravilhosa. O objetivo principal é beber o quanto for necessário para que o afogamento se torne celebração.

A Conta

     Quem sai antes deve ser tratado com pronome ofensivo e reclamação/gozação. (Ver terceiro parágrafo do item 1 para exemplos.) Este deve deixar sua parte da conta mais 20% de margem.
     Caso esteja sem grana/cartão pede ao brother mais próximo para “fazer a sua”. Se comprometendo a compensar na próxima. A despedida com cumprimento pessoal é opcional caso o grau de bebedeira esteja alto.
     Os brothers restantes falam para este ir devagar e em casos extremos se dispõe a leva-lo pra casa.
     Os últimos a ir embora pagam a conta, e mesmo percebendo que faltou dinheiro xingam todos os outros, pagam, e preparam sua vingança para a próxima vez. 

P.s.: Se um dia eu botar um bar, vou botar uma garçonete destas... Se bem que alguém iria apanhar todo dia quando chegasse em casa... E vocês também!!

sábado, 6 de junho de 2009

4 tipos básicos de temperamento

4 tipos básicos de temperamento


    Existem 4 tipos básicos de temperamento: o sanguíneo  o melancólico, o colérico e o fleumático, os quais estão dissertados nesta seção. Achei interessante que soubéssemos identificar o nosso, afim de que possamos trabalhar melhor com nossas ações. Se conhecermos e intendermos a nós mesmo, perderemos o medo de nos sentir seres humanos.


O TEMPERAMENTO SANGUÍNEO

       
A atitude básica para com o mundo é de receptividade. Estas impressões de fora têm uma entrada sem impedimento. Esta abertura  para as impressões é explicada pelo fato das emoções serem mais proeminentes do sanguíneo.

    •A força do sanguíneo:

    1- Ele tem o “poder de  Deus” para viver no presente- todos nós devemos fazer isso, mas raramente fazemos. Alguns vivem do passado, então, são memórias que tomam a nossa atenção. Alguns vivem do futuro, então são ansiedades que nos pegam. Ambos os tipos impedem de viver uma vida real que é para viver o presente;
    2- O sanguíneo encontra facilidade para verdadeiro se encontrar nos sentimentos, pensamentos e interesses de outros. Isto é por causa da sua aberta perceptividade para impressões de fora e sua natureza emocional. por causa do seu poder de se adaptar, ele anda facilmente entre todos os tipos de pessoas. Intuitivamente ele entra pelos sentidos na vida de outros e seus interesses é  sanguíneo tem dons naturais de cuidar dos doentes;
    4- Ele tem potencialidades para viver uma vida rica, pois está ciente desta capacidade e isto toca sua vida emocional  por saber que pode se expressar com entusiasmo;
    3- O sanguíneo é terno e simpático- ele pode verdadeiramente cumprir “Alegrai-vos com quem se alegra; chorai com os que choram.” Por isso é bom encontrarmos com um sanguíneo quando estamos alegres. Ele não destruirá nossa felicidade pelo seu cepticismo, criticismo ou indiferença. Não, sem qualquer oposição ele está conosco em nossa alegria. Assim também na tristeza. Ele chora conosco. Ele entende com o coração o que os outros não pode entender apesar de serem sábias ou firmes em caráter. Assim  possui o olho aberto para as riquezas da vida. Ele vive, vê, ouve, percebe mais do que os outros. Ele tem um olhar para formas, cor, para  a  natureza, arte, povo, animais e plantas, para o grande e pequeno. Sua vida está cheia não somente com muitas impressões, mas com impressões diferentes e sempre mudando. Por isso nunca tem tempo de ser monótono, inerte.

    •Fraquezas do sanguíneo

    1- É transitório e superficial. Isso é porque ele é uma pessoa do presente. Uma expressão expulsa a forma da impressão anterior. Como uma borboleta voa de flor em flor, assim sua alma facilmente movida voa de uma impressão para outra. Ele goza a impressão enquanto ele dura, mas quando são segundas novas impressões ele termina as anteriores. Elas têm servido seu propósito e ele não tem mais uso para elas. Especialmente é proeminente em amizade. Ele pode ser tão amável, alegre quando encontra com um amigo, que se pode pensar que ele não tem outros amigos, mas quando encontrar com outro amigo na próxima esquina ele se apresenta da mesma maneira e o primeiro já está esquecido. “Fora de vista, fora da mente” é um provérbio que dá certo com um sanguíneo. Ele não é fiel e constante às amizades.
    Vimos a mesma superficialidade em seus interesses. Ele é facilmente interessado. Ele tem capacidade de interessar os outros, mas é muito tempo antes que outros interesses apareçam  e ele deseje estes tanto quanto os outros. A mesma coisa quanto ao trabalho. Ninguém tem tantas coisas incompletas ao lado quanto o sanguíneo  Também vimos o mesmo modelo de amor. Suas emoções são facilmente agitadas, mas em pouco esquece por causa de outros interesses.
    2- Ele é inconstante, não merece confiança. Não queremos dizer que ele é falso ou hipócrita e muito menos um mentiroso. Sem desejar,  ele esquece as suas promessas e seus deveres, mais do que os outros, porque em seu interesse abundante pelo momento faz muitas promessas, certo que irá cumpri-las, mas cedo  elas estão esquecidas. Sua vida consiste principalmente de propósitos bons, mas incompletos.

    •Sugestões para ajudar o sanguíneo na sua vida espiritual.
 

    1. O sanguíneo é facilmente plasmado pelo ambiente -  é fácil para ele sentir os sentidos dos outros.
    Se o sanguíneo mora com crentes logo ele entra naquele ambiente até contribuindo na sua conversa espiritual. Ele é aberto e receptivo para impressões: assim ele sente emoções, por exemplo o amor de Deus, o sofrimento de Cristo na cruz. Tudo progride depressa e facilmente, como o Senhor falou da semente que caio nos pedregais (Mt. 13:6-6,20-21). Logo nasceu, mas queimou-se porque não tinha raiz. “Logo recebe com alegria.”
    A conversão é difícil para o sanguíneo. Lc. 9:57-62 vimos vários sanguíneos. O Senhor os ajuda constrangendo-os a fazer uma escolha. Isso é o que o sanguíneo precisa ser levado a fazer a escolha porque seu grande interesse em Cristo basta para ele, pensando isto é suficiente e nesta maneira evita fazer escolha.
    2. Até depois da sua conversão o sanguíneo terá dificuldade. Sua inconstância é o pior. Ser constante diariamente é o mais difícil, é difícil e inconstante na oração, na leitura por causa das outras coisas que entram na sua vida.

    •Disciplina própria para o sanguíneo.

    1. Primeiro dever é esclarecer que é o nosso temperamento que impede e causa dano na nossa vida em Deus.

    2. Com honestidade pelejar contra esta dificuldade.
    As falhas do sanguíneo são abertas para todos fora dele. A ele  falta firmeza, é deficiente em firmeza espiritual, domínio próprio, é facilmente intoxicado por todas as experiências e perde a firmeza e estabilidade, coerência e a continuidade na sua vida.
    Vamos pensar em Pedro. Ele era sanguíneo entre os discípulos. Como era  bem intencionado e natural ele faz ao grande Mestre a censura (MT. 16:22). Mostrou entusiasmo e sinceridade quando prometeu a Jesus que ele não seria escandalizado ainda que todos se escandalizem (Mt. 26:33). Então depois apenas duas horas ele negou com juramento que nunca tinha visto a Jesus. Mas lendo I Pedro vemos como o apóstolo Pedro aprendeu o domínio próprio.
    Na disciplina, o sanguíneo precisa notar especialmente suas falhas básicas: inconstância, desejo intenso para prazer, gozo e fraqueza de vontade. Precisa treinamento com perseverança- I Cor. 9:27. Note suas amizades, seus trabalhos incompletos, suas promessas esquecidas. Tal sanguíneo bem disciplinado torna-se um bom e valoroso cristão.



O TEMPERAMENTO MELANCÓLICO

   
Aqui como no sanguíneo, sentimentos são as coisas principais na alma.  Impressões de fora causam as mais fortes operações. Ele não deixa tantas impressões entrarem como no sanguíneo. Logo que entram ele começa a pensar, refletir, ponderar. O sanguíneo pensa pouco ou reflete pouco. Impressões entram e em pouco  tempo são vencidas ou cobertas com novas impressões. O melancólico escolhe as impressões, especialmente as  impressões que têm relação com "sua pessoa". E quando ele é desanimado, dá preferências àquelas impressões que dão remorso e tormento. Ele guarda bem e relembra sempre. 
     Como o sanguíneo é de temperamento alegre, o melancólico é de sofrimento. O que ajuda a causar é não somente pensar de si, mas sua tendência inata para julgar, avaliar, todas es impressões que ela recebe de fora. Ele compara tudo com o ideal que tem na sua alma. Seja o que for ele encontra um cavalo, uma cadeira, pessoa, etc. Imediatamente compara experiência com seu alto ideal. Naturalmente ele é decepcionado. O resultado é que o presente tem pouco interesse para ele. E ele passa tanto quanto deste mundo para o mundo do pensamento e sonhos. Lá ele vive do passado ou futuro.

    •A força do tipo melancólico

    1- Ele tem uma alma de alta qualidade e rica. Sua alma não é somente admirável, mas profunda. Portanto muitos dos grandes artistas são deste tipo.
    2- Ele é profundo e completo. Não gosta de superficialidade e leviandade. Mas nas coisas que ele tem interesse estuda profunda e completamente.
    3- Tem uma limitação: aqui, também e diferente do que o sanguíneo. O sanguíneo está  interessado em tudo e começa muitas coisas sem completar. O melancólico tem poucos interesses, mas tem tempo para todas. Ele tem disciplina sobre si mesmo.
    4- Sua fidelidade - é fiel aos poucos. O sanguíneo tem muitos amigos. O melancólico às vezes ofende pessoas e muitos se afastam por causa de seu pessimismo, gênio e orgulho, mas aqueles que confiam nele e aqueles de que gosta, para eles é bem fiel. Por causa de sua natureza acanhada, não mostra muito seus sentimentos. Há uma coisa tocante acerca de sua amizade: Tem mais do que diz e mostra.
    5- Sua cortesia. Não esquece promessas e deveres. É cortês, não gosta de descuido, tudo tem que ser e ordem.

    •Fraquezas do melancólico

    1- Ocupado demais consigo mesmo. Ele é tentado a olhar por dentro com o resultado de aleijar a vontade e capacidade. Esta atitude de estar  sempre olhando para o interior é não somente desprezível, mas prejudicial, portanto pode facilmente desenvolver uma disposição autodepreciativa nele.
    2- Sensível- porque relaciona todas as impressões com seu próprio eu, facilmente fica ofendido ou magoado. Portanto  é facilmente supersticioso. “Por que ele fez aquilo” “Por que ele diz isto” Tais perguntas o sanguíneo quase nunca pensa, mas o melancólico diariamente está atormentado em si mesmo.
    3- Sua irreconciliabilidade - ninguém  tem tanta dificuldade para esquecer um insulto como ele. É porque as impressões vão profundas. Ele pensa muito e estas coisinhas começam a se  tornar grandes, até que é muito difícil para perdoar.
    4- Pessimismo- por causa do seu alto ideal, vê as falhas e erros em tudo.
    5- Orgulho- Seu olhar para os erros dos outros dá lugar para desprezar. Seus próprios erros ele não os  vê, como nós todos.
    6- Positivo- por  natureza- vive mais no mundo de pensamentos. O melancólico é pobre em iniciativa, ambos em companhia e conversa.
    7- Ele é indeciso- reflete todos os lados do caso, todas as possibilidades e  conseqüências antes de fazer, ou melhor , tomar uma decisão. Quanto mais que ele pensa mais difícil torna o problema.
    8- O melancólico sente uma chamada para um trabalho idealístico e muito difícil. A vida é ordinária e simples demais para ele, por isso vai sonhando as coisas além.

    •Sugestões para ajudar o melancólico na sua vida espiritual


    1- O melancólico pode ser facilmente impressionado. As impressões deixam uma marca na mente receptiva e profunda. As impressões que ele recebeu de Deus não o permitem receber paz e gozo neste mundo. Às vezes  é impedido de “tomar uma decisão "por causa da sua maneira de procurar sondar e considerar todos os pontos.
    2- Quando convertido é muito sério a respeito de sua fé. Muitas vezes refletindo sobre a sua vida, seu pecado, seu coração obstinado.
    3- Como cristão ele: sempre vê primeiro as coisas tristes e escuras. É difícil para ele ver a direção brilhante e graciosa de Deus. Facilmente começa a murmurar e esquecer as misericórdias de Deus.
    4- Com o sanguíneo as tentações são da mente e com o melancólico são mais do espírito.

    •Disciplina própria do melancólico.

    1- Introspecção é o ponto mais fraco do melancólico. Nisso é que tem de pelejar. Quando chega ao ponto de olhar por dentro e achar que é além da sua capacidade, então  “prostra-se aos pés de Jesus” e isto é sua salvação (Fl. 4:7). A única maneira que nossos corações  podem ser guardados de olhar para dentro, é olhar para Cristo. Se entregar, sacrifica-se, trabalhar por outros, o mais fácil é esquecer de si mesmo.
    2- Deve pelejar contra pensamento infrutíferos – tem de aceitar a realidade e aprender a viver o presente (Fl. 4:8)
    3- Deve pelejar contra o criticismo e o orgulho – primeiramente deve ser os seus erros em vez dos erros dos outros. Tal melancólico disciplinado torna-se membro valoroso da igreja. Ele é completo, profundo e cheio. Em conversa nunca será como o sanguíneo. Ele é de poucas palavras. Quando diz uma coisa é bem pesada, considerada, organizada, mas também tem certos pensamentos independentes e profundos que nos dão assunto para pensar depois.



O TEMPERAMENTO COLÉRICO



Quando a experiência toca o colérico, toca a sua vontade. Imediatamente ele chega à decisão dirige para a ação. O colérico tem o temperamento que age.

    •A força do colérico

    1.Poder e vontade: ninguém tem por natureza mais potencialidade de ser forte, firme de caráter quando o colérico. Ele é feito para a atividade. Deseja primeiramente tomar todas as decisões a respeito  de si mesmo, mas também quer tomar decisões a respeito dos outros.
    2.Resolução e poder para agir: enquanto o melancólico reflete e pondera todos os aspectos para ir contra, o colérico imediatamente vê o que deve ser feito. O colérico é calmo, certo e forte no tempo da decisão.
    3.Ele é prático.
    4.É alerta – mente viva. É a sua vontade energética que o leva para pensamento disperso. Este pensamento não é profundo e completo. Seu julgamento de pessoas tem o aspecto prático. Estuda pessoas não para  o interesse delas, mas para entender a sua utilidade para ele.
    5.É resoluto, corajoso – sempre tem um meio para vencer, ser mestre de situação.
    6.Não  se permite ter medo.

    •As fraquezas do colérico

    1.Ele é severo e impiedoso. E a vida emocional é pouco desenvolvida nele. Portanto tem pouca capacidade para entrar nas circunstâncias e situações de outros. Não tem muita simpatia com o sofrimento físico e espiritual. Não entende a tenra e indelicada vida.
    2.É impiedoso e violento. Tem um gênio muito forte.
    3.Tem muita confiança em si mesmo. Acha que vê mais claro e certo do que os outros. Nota que tem a energia que e nos outros faltam, por isso ganha confiança em si.
    4.É orgulhoso e mandante – porque não tem tempo nem paciência para convencê-los, os força a ir com vingança.

    •Sugestões

    1.colérico é o grupo mais difícil de se alcançar. Ele julga facilmente religião com uma coisa sentimental.
    2.Quando aceita o Evangelho ele aceita de todo o coração.
    3.Como crente tem capacidade de ter um bom caráter cristão. Quando suas energias e fortes desejos são dirigidos por Deus, então, estes caracteres tem muito valor.
    4.Torna-se crente ativo. Trabalha onde quer que for. O exemplo que temos na Bíblia é o apostolo Paulo. Ele é o colérico entre os apóstolos. Notemos como ele é firme de caráter e fiel nas suas convicções. Vimos seus desejos para a atividade. I Cor. 15: 10. Vimos também a sua praticabilidade. Vimos também que não lhe faltavam as tentações de orgulho e confiança em si. II Cor. 12:17.

    •Disciplina própria do colérico.

    1.Porque ele é um tipo duro, sua disciplina tem que ser forte e dura para vencer. Para  ele, pedir perdão é uma humilhação muito grande. Se ele se esforçar cada vez mais para pedir perdão vencerá facilmente e mais cedo.
    2.Seu orgulho e desejo por poder  também são difíceis .
    3.Tem de lutar contra as suas tendências para atividade inútil.



O Temperamento fleumático

   
O fleumático tem o temperamento sereno e uniforme. Nenhuma fase especial é efetuada pelas impressões de fora. Ele tem aquela calma e não é surpreendido como o sanguíneo, nem magoado como o melancólico.

    •A  força do fleumático

    1.Ele é bondoso e é agradável. É pacífico. Deseja o menos possível preocupação e não entende porque outros ficam tão agitados a cerca de coisas pequenas. Portanto não é somente calmo, mas agradável. Não fala muito.
    2.É digno de confiança porque é calmo e tem tempo para pensar completamente. O que faz é bem feito. Não é descuidado. Pode resolver e agir mas nem sempre está  disposto. Precisa de  alguém para iniciá-lo.
    3.Tem uma mente prática. Não é tão profundo no pensamento como o melancólico. Mas com calma considera todos os lados. O fleumático é tão desapaixonado que tem mais liberdade nos pensamentos, as  coisas ou impressões não influenciam tanto.  Ele evita  a perda de tempo a energia que outros fazem por causa  das suas besteiras ou impetuosidades. Evita porque tem gênio calmo e sereno e intelecto prático. Tem muita potencialidade como conselheiro.

    •As fraquezas do fleumático

    1.Ele é vagaroso, isto é relacionado com a sua atitude com o mundo lá  fora. Nada o surpreende, nada agita suas emoções, está sempre observando quietamente, espectador quieto. Isto pode irritar muito aos outros. Ele age positivamente contra inquietação e emoção. Se o sanguíneo está muito animado, o fleumático torna-se frio. Se o melancólico é pessimista sobre as dificuldades do mundo, o fleumático torna-se mais  otimista do que nunca e por isso causa raiva aos outros.
    2.Sua preguiça -  ele é mais preguiçoso do que qualquer outro. O sanguíneo e colérico são ativos nos seus pensamentos, mas o fleumático evita todos os esforços.
    3.É oportunista.
    4.É frio. Mas não duro ou cruel como o colérico. É amável e pacífico quando alguém pede auxílio, mas prefere não se interessar.
    5.É indiferente.

    •Sugestões para ajudar o fleumático na vida espiritual

    1. O fleumático é inclinado para a justiça própria. Porque sua vida é controlada,  ela não cai nas tentações mais grosseiras. Por isso se defende contra acusações da consciência ou das  pessoas.
    2.Não é difícil entrar com ele na conversa sobre Deus. Porque é congenial e quer evitar qualquer argumento ou desprezo, se mostra amável e social, para falar pessoalmente sobre as suas necessidades, mas evita conflitos, porque não quer nada que venha a perturbar a sua tranqüilidade ou que venha  causar dificuldade para si mesmo.
    3.Mas se cometer e obtiver domínio próprio sobre o seu temperamento, torna-se um crente firme. Tem capacidade de viver uma vida harmoniosa. Torna-se um líder saliente.

    •Disciplina do fleumático:

    1.É primeiramente seu amor por tranqüilidade que precisa combater.
    2.Precisa combater sua indiferença. Se o fleumático começa a exercitar um amor para servir,  seu coração se abrirá mais e mais (que ultrapassa o gozo), para as necessidades e dificuldades de outros, e ele achará o gozo que ultrapassa o gozo natural de uma vida calma e serena. Começa então a entender o gozo do puro amor através de ajuda aos outros, fazendo-os felizes.



Click no botão acima para fazer o teste de seu temperamento

    Saiba discernir seu temperamento: Veja primeiro os pontos fortes, suas qualidades, porque é mais fácil ser objetivo quanto as suas  qualidades do que quanto as suas fraquezas. Uma vez determinada as virtudes procure os defeitos correspondente. 
•Sanguíneo- atores, vendedores, oradores, etc.Qualidades: comunicativo, destacado, entusiasta, afável, simpático, bom companheiro, compreensivo, crédulo.Defeitos: pusilânime (falta de decisão), volúvel, indisciplinado, impulsivo, inseguro, medroso.
•Melancólico- artistas, músicos, inventores, filósofos, mestres etc.Qualidades: habilidoso, minucioso, sensível, perfeccionista, esteta, idealista, leal, dedicado.Defeitos: egoísta, amuado, pessimista, teórico, confuso, anti-social, crítico, vingativo, inflexível. 
•Fleumático- diplomatas, administradores, professores, técnicos, etc.Qualidades: calmo, tranqüilo, cumpridor, eficiente, conservador, prático, líder, bem-humorado.Defeitos: calculista, temeroso, indeciso, contemplativo, desconfiado, pretensioso, introvertido, desmotivado.
•Colérico- produtores, construtores, líderes etc.Qualidades: enérgico, resoluto, independente, otimista, prático, eficiente, decidido, líder, audacioso.Defeitos: iracundo (propenso a ira), sarcástico, impaciente, prepotente, intolerante, vaidoso, auto-suficiente, insensível, astucioso.



quinta-feira, 4 de junho de 2009

Sem trabalho, Sem comida

    HYAKUJO, o mestre Zen chinês, costumava trabalhar com seus discípulos mesmo na idade de 80 anos, aparando o jardim, limpando o chão, e podando as árvores. Os discípulos sentiram pena em ver o velho mestre trabalhando tão duramente, mas eles sabiam que ele não iria escutar seus apelos para que parasse. Então eles resolveram esconder suas ferramentas.
    Naquele dia o mestre não comeu. No dia seguinte também, e no outro.
    "Ele deve estar irritado por termos escondido suas ferramentas," os discípulos acharam. "É melhor nós as colocarmos de volta no lugar."
    No dia em que eles fizeram isso, o mestre trabalhou e comeu exatamente como antes. À noite ele os instruiu, simplesmente:
    "Sem trabalho, sem comida."

Garotas

    Tanzan e Ekido certa vez viajavam juntos por uma estrada lamacenta. Uma pesada chuva ainda caía, dificultando a caminhada. Chegando a uma curva, eles encontraram uma bela garota vestida com um quimono de seda e cinta, incapaz de cruzar a intercessão.
    "Venha, menina," disse Tanzan de imediato. Erguendo-a em seus braços, ele a carregou atravessando o lamaçal.
    Ekido não falou nada até aquela noite quando eles atingiram o alojamento do Templo. Então ele não mais se conteve e disse:
    "Nós monges não nos aproximamos de mulheres," ele disse a Tanzan, "especialmente as jovens e belas. Isto é perigoso. Por que fez aquilo?"
    "Eu deixei a garota lá," disse Tanzan. "Você ainda a está carregando?"




Nas Mãos do Destino

    Um grande guerreiro japonês chamado Nobunaga decidiu atacar o inimigo embora ele tivesse apenas um décimo do número de homens que seu oponente. Ele sabia que poderia ganhar mesmo assim, mas seus soldados tinham dúvidas. No caminho para a batalha ele parou em um templo Shintó e disse aos seus homens:
    - "Após eu visitar o relicário eu  jogarei uma moeda. Se a Cara sair, iremos vencer; se sair a Coroa, iremos com certeza perder. O Destino nos tem em suas mãos."
    Nobunaga entrou no templo e ofereceu uma prece silenciosa. Então saiu e jogou a moeda. A Cara apareceu. Seus soldados ficaram tão entusiasmados a lutar que eles ganharam a batalha facilmente.
    Após a batalha, seu segundo em comando disse-lhe orgulhoso:
    - "Ninguém pode mudar a mão do Destino!"
    - "Realmente não..." disse Nobunaga mostrando-lhe reservadamente sua moeda, que tinha sido duplicada, possuindo a Cara impressa nos dois lados.

Uma Parábola

     Certa vez, disse o Buddha uma parábola:
    Um homem viajando em um campo encontrou um tigre. Ele correu, o tigre em seu encalço. Aproximando-se de um precipício, tomou as raízes expostas de uma vinha selvagem em suas mãos e pendurou-se precipitadamente abaixo, na beira do abismo. O tigre o farejava acima. Tremendo, o homem olhou para baixo e viu, no fundo do precipício, outro tigre a esperá-lo. Apenas a vinha o sustinha.
    Mas ao olhar para a planta, viu dois ratos, um negro e outro branco, roendo aos poucos sua raiz. Neste momento seus olhos perceberam um belo morango vicejando perto. Segurando a vinha com uma mão, ele pegou o morango com a outra e o comeu.
    "Que delícia!", ele disse.

Uma xícara de Chá


    Nan-In, um mestre japonês durante a era Meiji (1868-1912), recebeu um professor de universidade que veio lhe inquirir sobre Zen. Este iniciou um longo discurso intelectual sobre suas dúvidas.
    Nan-In, enquanto isso, serviu o chá. Ele encheu completamente a xícara de seu visitante, e continuou a enchê-la, derramando chá pela borda.
    O professor, vendo o excesso se derramando, não pode mais se conter e disse:
    "Está muito cheio. Não cabe mais chá!"
    "Como esta xícara," Nan-in disse, "você está cheio de suas próprias opiniões e especulações. Como posso eu lhe demonstrar o Zen sem você primeiro esvaziar sua xícara?"



quarta-feira, 3 de junho de 2009

As Quatro Nobres Verdades

         Assim foi dito por Buda o iluminado. Por não compreender e não realizar quatro coisas, que eu discípulos, da mesma forma que vocês, tivemos que vagar tão longamente através desta roda dos renascimentos.


E quais são essas quatro coisas?



    1- A nobre verdade do sofrimento.
    2- A nobre verdade da causa do sofrimento.
    3- A nobre verdade da extinção da causa do sofrimento.
    4- A nobre verdade da senda que leva à extinção do sofrimento.

     Enquanto o absoluto e verdadeiro conhecimento e introspecção relativos a estas Quatro Nobres Verdades não estavam perfeitamente claros em mim, eu não estava certo que tinha atingido a suprema iluminação que é insuperável em todo o mundo.
     Mas tão logo o absoluto e verdadeiro conhecimento e introspecção relativos a estas Quatro Nobres Verdades se tornaram perfeitamente claros em mim, surgiu a certeza que tinha atingido esta suprema iluminação insuperável.
     Então descobri essa profunda verdade, tão difícil de perceber, difícil de compreender, tranquilizante e sublime à qual não é para ser ganho por mero intelecto e é visível apenas ao sábio.
 

 1ª - A Nobre Verdade do Sofrimento


     Nascimento é sofrimento, doença é sofrimento, morte é sofrimento, tristeza, lamentação, dor, pesar e desespero são sofrimento. Não ter o que se deseja é sofrimento, separação do que se deseja é sofrimento, união com o que não se deseja é sofrimento. Saudade é sofrimento, ser escravo de um passado já morto e um futuro inexistente é sofrimento. Ser presa fácil de estímulos exteriores de toda ordem é sofrimento. Quando sopram os ventos da sensibilidade nós vamos cegamente a sensualidade, quando sopram os ventos da raiva nós vamos cegamente a violência, quando sopram os ventos da agitação e preocupação nós vamos cegamente em direção a ansiedade e angústia, quando sopram os ventos da dúvida nós vamos cegamente  ao ceticismo.
     Todo sofrimento, assim como toda a nossa felicidade está na própria mente, pois nenhum inimigo nos poderá fazer tão infelizes quanto nossa mente mal dirigida. Também nenhum parente, seja pai, mãe ou irmão nos tornará tão felizes quanto nossa própria mente bem dirigida.
      Em resumo, os cinco agregados da existência quando objetos de apego, isto é, quando tomados como “eu”  e “meu” são sofrimento.
    Os cinco agregados da  existência são: corpo, sensações, percepções, consciência e formações mentais.
 

2ª - A Nobre Verdade da Causa do Sofrimento


     Qual é a causa do sofrimento? é a ignorância, o desejo, o apego, a cobiça, o ódio, e a ilusão. Mas aonde o desejo e a ignorância surgem? aonde estão suas raízes? Aonde houver coisas deliciosas e agradáveis lá o desejo e ignorância surgem, lá eles têm as suas raízes.
     Visão, audição, olfato, paladar, tato e a mente são deliciosos e agradáveis lá o desejo e a ignorância surgem, lá eles fincam raízes. Quando percebemos um objeto pela visão, se o objeto é agradável a pessoa é atraída e se é desagradável a pessoa o repele.
     Então, seja qual for a sensação que experimente, se a pessoa o aprova e acha agradável então a sensação condiciona o desejo, e desejando a pessoa se apega ao objeto desejado. Então o desejo condiciona o apego. Quando a pessoa se apega ela irá agir pela palavra ou pelo o corpo para possuir o objeto desejado.
     Deste modo, então o apego condiciona a ação (Karma) ou processo de vir a ser. O processo de vir a ser (ou existência) condiciona o nascimento.
      Dependendo do nascimento, a decadência e a morte, tristeza e lamentação dor e pesar, ressentimento e desespero.
      Assim surge essa imensa massa de sofrimento.
 

3ª - A Nobre Verdade da Extinção da Causa do Sofrimento


     O que é a extinção do sofrimento? É a completa erradicação e desaparecimento da ignorância, desejo, apego, cobiça, ódio e ilusão e em conseqüência o abandono e libertação da ilusão do EU e do MEU. 
      Com a extinção da ignorância o desejo é extinguido.
      Pela cessação do desejo cessa-se o apego.
     Pela cessação do apego o processo de vir a ser ou as ações (Karma) é extinguido.
    Pela cessação de vir a ser ou existência, o nascimento é extinguido.
     Pela cessação do nascimento, a decadência e a morte, tristeza e a lamentação, dor pesar, ressentimento e desespero serão extinguidos.
Assim se dá a extinção de toda esta massa se sofrimento.


Nirvana

 
Isso verdadeiramente é a paz, isto é, o mais elevado a saber o fim de todas as formações Kármicas, o abandono de todo substrato de ressarcimento, o fim da ignorância, do desejo, e apego, da cobiça, ódio e ilusão. 
     Encantado pelo desejo, irado pela cobiça, vendado pela ilusão, derrotado com a mente enganada, o homem, pela ignorância provoca a sua própria ruína, a ruína de outros e a ruína de ambos, e ele experimentará sofrimento mental e pesar. Mas se a ignorância e desejo e apego, cobiça, ódio, e ilusão forem abandonados, o homem não mais provocará a sua própria ruína, a ruína de outros, nem a ruína de ambos, não mais experimentando sofrimento mental e pesar.
     Assim é o Nirvana, imediato, visível nesta vida, convidado, atrativo e compreensível apenas pelo sábio.
     A extinção completa, total e global, sem deixar qualquer vestígio da ignorância, desejo e apego, cobiça, ódio e ilusão, isto verdadeiramente é chamado de NIBBANA.
 

O Arahat (Monge)  -  O Santo Sábio e Iluminado 

    
E para o discípulo assim livre, em cujo coração reina a paz não há nada mais a ser acrescentado àquilo que ele já faz, nem nada mais resta para ele a fazer. Como uma sólida massa de rocha. Formas visuais ou sons, odores ou gostos, contatos de qualquer natureza, o desejável ou o indesejável, nada poderá fazê-lo entrar em vibração, inabalável está a sua mente. Foi ganha a libertação.
     E ele que já atingiu o supremo equilíbrio e equanimidade à todas as coisas deste mundo, não é mais perturbado por nada, seja o que for. Ele está livre da raiva, da tristeza e da saudade, ele passou além do nascimento, decadência e morte.
 

4ª - Nobre Verdade da Senda que Leva à Extinção do Sofrimento


     Os dois extremos e a Senda do meio. Os prazeres sensuais, o comum, o vulgar, o mundano, sem qualquer sentido para o progresso na Senda espiritual. Ou:
     A mortificação do corpo que é dolorosa e também sem vantagem qualquer para a vida santa.
     Ambos estes extremos, o iluminado evitou e descobriu a Senda Média, a qual propícia qualquer um ver e a compreender, leva à paz, ao discernimento, a iluminação e ao NIBBANA.



E qual é a Senda do Meio? É a nobre Senda Óctupla:


1) Palavra Correta
2) Ação Correta
3) Meio de Vida Correto     (Moralidade)
4) Esforço Correto
5) Plena Atenção Correta
6) Concentração Correta    (Concentração)
7) Correta Compreensão
8) Correto Pensamento    (Sabedoria)
                   
     Livre da dor e tortura é esta Senda, livre de lamentos e sofrimento uma Senda perfeita. Verdadeiramente, como esta Senda não existe outra para a purificação dos seres. Se você seguir está Senda porá fim ao sofrimento. Mas cada um tem que lutar por si próprio, o iluminado apenas aponta o caminho.


1) Palavra Correta

a) Abster-se de mentir e de Caluniar.
b) Abster-se de levar e de trazer conversas que causem desarmonia e discórdia.
c) Abster-se de palavras pesadas, duras e ofensivas.
d) Abster-se de tagarelice e de conversas frívolas.

    

2) Ação correta

a) Abster-se de destruir os seres vivo, isto é, não matar.
b) Abster-se de pegar para nós aquilo que não nos pertence, isto é, não roubar.
c) Abster-se de errôneo comportamento sexual (infidelidade, adultério etc.)
d) Abster-se de tóxicos e de bebidas alcoólicas que entorpeçam a mente.

    

3) Meio de vida correto

     Abster-se de profissões como:
a) caçador, pescador, abatedor;
b) comércio de armas e drogas, bebidas, cigarros etc.

     O meio de vida deve ser honesto, para o bem comum e nunca prejudicando e explorando  nosso semelhante.


4) Esforço Correto

a) O Esforço de evitar o mal.
b) O Esforço de superar o mal.                                           
c) O Esforço de fazer surgir o bem.
d) O Esforço de manter e de desenvolver o bem.

    

5) Plena Atenção Correta

a) Atenção sobre o corpo
b) Atenção sobre as sensações.
c) Atenção sobre os estados de consciência.
d) Atenção sobre os objetos da mente.

    

6) Concentração Correta

A concentração é a mente unipolarizada, isto é: mente voltada para um único ponto. Existem cinco obstáculos para o desenvolvimento da concentração: 


l - Sensualidade (luxúria)

II - Raiva, ira, ódio.
III - Sonolência, preguiça e torpor.
IV - Agitação e preocupação.
V - Dúvida



7) Correta Compreensão

a) Compreender as quatros nobres verdades.
b) Compreender as três características da existência.
c)Compreender as ações meritórias e a raiz dessas ações.                   
d) Compreender as ações demeritórias e a raiz dessas ações.
 

a) As Quatros Nobres Verdades 


     O homem comum, desprovido de correta compreensão, é ignorante dos ensinamentos dos homens Santos e não é treinado na nobre doutrina. Seu coração é possuído e dominado pela:
 
         1) Ilusão da existência de um eu;
         2) Pela dúvida;
         3) Pelo apego e meras regras e rituais;
         4) Pelo desejo sensual;
         5) Pela raiva.


     E como livrar-se destas coisas ele não sabe! Não sabendo o que é digno de considerações e o que é indigno (para libertar-se desses cinco grilhões) ele acaba considerando  justamente o que é indigno e não o que é digno.

E pela ignorância ele se preocupa e reflete dessa maneira:


     O mundo é eterno ou temporal? Finito ou infinito? O princípio vital é idêntico ao corpo ou alguma coisa diferente? O Buda continuará depois a morte ou não? Eu existi no passado ou não existi numa vida passada? O que eu fui na vida passada? Quem eu fui na vida passada? Eu existirei numa vida futura ou eu não existirei numa vida futura? Eu sou ou eu não sou? O que sou eu? Como sou eu? Este ser, de onde ele veio, para onde vai? "Sábias" Considerações!

     O instruído e nobre discípulo entretanto, que sabe os ensinamentos dos homens Santos e é bem treinado na nobre doutrina; compreende o que é digno de consideração e o que é indigno. E assim sabendo, ele considera o digno e não o indigno.

         O que é sofrimento, ele sabiamente considera.
         O que é a origem do sofrimento, ele sabiamente considera.
         O que é a extinção do sofrimento, ele sabiamente considera.
        Qual é a Senda que leva a extinção do sofrimento, ele sabiamente considera.

   

b) As três características da existência são:

1) Impermanência
2) Não satisfatoriedade    
3) Impessoalidade
   
     O corpo é impermanente, as sensações, são impermanentes, as percepções são impermanentes, as formas mentais são impermanentes, e as consciências são impermanentes. E tudo o que é impermanente é sujeito ao sofrimento e mudança, não se pode corretamente dizer:

isto pertence a mim,
isto sou eu, 
isto é o meu ego.


     Assim como a bolha d’água é oca, vazia e não substanciável, da mesma forma todos os fenômenos psicofísicos são também ocos, vazios e sem um ego.


c) As ações Meritórias são de três tipos:

1) Pelo corpo, o mesmo que ação correta.
2) Pelo o verbo, o mesmo que Palavra Correta.
3) Pela mente, o mesmo que Pensamento Correto.

Quais são as raízes das Ações Meritórias:

1) Renúncia
2) Desapego
3) Boa vontade
4) Benevolência
5) Generosidade
6) Moralidade
7) Meditação
8) Reverência, gratidão e respeito
9) Serviço não egoísta ao próximo
10) Transferência de mérito
11) Alegrar-se com o sucesso e o mérito de outros.
12) Ouvir o Dhamma (Doutrina)
13) Expor o Dhamma
14) Ter corretos pontos de vista e correta compreensão
15) Gratidão
16) Respeito.


As Ações Demeritórias são também de três tipos:


1) Pelo corpo: destruir seres vivos roubar e explorar, adultério, ingerir tóxicos e bebidas alcoólicas.
 
2) Pelo verbo: mentir e caluniar, levar e trazer conversas, palavras pesadas, duras e ofensivas, tagarelice e conversas frívolas.
 
3) Pela mente: cobiça-egoísmo, vaidade, má vontade, ódio e raiva, errôneos pontos de vista
As raízes das Ações Demeritórias são:
Cobiça, ódio, ilusão ou ignorância, egoísmo.    .

8) Pensamento Correto  
São todos os pensamentos baseados na renúncia e desapego, tais como:
Boa vontade, benevolência e amor.
Bondade e camaradagem.
Correta compreensão e corretos pontos de vista.

    
Todo pensamento que for motivado pela Cobiça, Ódio, ilusão e ignorância, egoísmo, vaidade, inveja etc. Serão necessariamente pensamentos incorretos.
     Que todos os seres que estejam em sofrimento, possam se libertar do seu sofrimento.
     Que todos os seres que estejam inseguros e com medo, possam se libertar de sua insegurança e do seu temor.
     Que todos os seres que estejam tristes e em lamento, passam se libertar de sua tristeza e da sua lamentação.
     Pela realização dessas afirmações que todos os seres, sem nenhuma exceção, possam se sentir verdadeiramente muito bem e muito felizes. 




__________________________________________________



 Link para o site da editora...




Mapa!

Locations of visitors to this page