.addthis_toolbox{text-align:center;}.custom_images a{width:32px;height:32px;padding:0} .addthis_toolbox .custom_images a:hover img{opacity:1} .addthis_toolbox .custom_images a img{opacity:0.50}

*******

*******
Mostrando postagens com marcador Livros e Artigos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Livros e Artigos. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 28 de março de 2017

A ARTE DE APRECIAR E OUVIR SEM FAZER JUÍZO DE VALOR


A ARTE DE APRECIAR E OUVIR SEM FAZER JUÍZO DE VALOR
Por Henrique Musashi, Aracati, 24 março de 2017.


“Examinai todas as evidências, retende o que é bom. Afastai-vos de toda a forma de mal.” [I Tessalonicenses 5:21-22]



Na literatura cristã, Paulo, apóstolo do Cristo, em uma de suas famosas admoestações, nos aconselha a "reter o que for bom e dispensar o que não for".
Já imaginou se você ou eu fôssemos apreciar uma música, uma peça de teatro, ir a uma galeria de arte, ouvir uma palestra, ou qualquer outro evento cultural, levando-se em consideração o detalhe da vida pregressa do protagonista de tal exibição ou evento?
Nós não aceitaríamos ver uma tela do famoso pintor maluco que cortou a orelha (Van Gogh), ouvir alguns dos grandes nomes da MPB, nem de forró, nem de música gospel e nem de outro ritmo. Nem leríamos a maioria dos livros que conhecemos. Nem aceitaríamos o estender da mão de um conhecido e, possivelmente, nem a nossa ajuda seria aceita e nem nossas palavras seriam ouvidas ou respeitadas pelo mesmo motivo.
Julgar, desmerecer, toda vida de uma pessoa por conta de um detalhe na trajetória ou vício (...) é algo imbuído do maior câncer que se pode ter – o orgulho, o "câncer da alma". Até nós seríamos pegos nessa "peneira". Pois, em algum momento, agimos de forma nociva para nós mesmos ou a outrem. Nestes momentos vem a minha memória a parábola do Fariseu e o Publicano:

Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano. O fariseu, em pé, orava em seu íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: roubadores, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este cobrador de iii. Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho’. Entretanto, o publicano ficou à distância. Ele sequer ousava olhar para o céu, mas batendo no peito, confessava: ‘Ó Deus, sê benevolente para comigo, pois sou pecador’. Eu vos asseguro que este homem, e não o outro, foi para sua casa justificado diante de Deus. Porquanto todo aquele que se vangloriar será desprezado, mas o que se humilhar será exaltado! [Lucas 18:9-14]

Redundante seria explicar a citação acima retirada do Evangelho, tão clara, dispensa dizer do contraste da arrogância do “justo” e, respectivamente, a humildade do declarado pecador.  Olhando assim podemos nos encontrar nesta condição de “justos farisaicos” em nossa pressa de instantaneamente julgar e condenar sem oitiva e sem a devida competência, mas nos achamos na universal jurisdição de assim procedermos, principalmente nas redes sociais onde já foram principiados atentados a vida e a moral de pessoas comuns. Como já disse, em outro livro:

Nada contra o WhatsApp, que é mais uma ferramenta ágil de comunicação que uso para meus negócios e comunicação urgente, mas não me apego a aquele “mi-mi-mi” desenfreado. E quando estou tomando minha cervejinha gosto de falar com gente que esteja perto, sentados a mesma mesa, dentro da mesma conversa presencial. Também não considero o Facebook uma coisa do mal, um “instrumento do demônio” como afirmam os "crentes" mais afoitos. Uma faca, uma pá, o próprio face, por exemplo, são apenas ferramentas em seus termos. O problema está em quem faz uso errado destas. Até uma linda rosa, em mãos dolosas, pode ser um instrumento para fazer o mal. [Prosa Crônico - Axiomaticamente Amigo]  

Não por culpa da tecnologia, mas a evolução tecnológica ainda não nos atingiu em nossa evolução pessoal/humana. Ao invés disso, mediante a ausência atrevida (ao falar de longe), nos deu “combustível” para o nosso preconceito covarde. A violência se atenuou pela materialização de nossos pensamentos mesquinhos, principiando pela violência de nossas palavras de nossa mentalidade involuída em julgar de maneira tão promíscua - sem critérios. Lembre-se que vício é o contrário de virtude e, vício, não se limita apenas ao uso constante de substancias tóxicas ao nosso corpo, mas fofocar, falar mal, fazer "juízo de valor" sem conhecer, rotular, gula, ódio, avareza, infidelidade e outros maus costumes a que todos estamos sujeitos, também são vícios, mesmo que nós possamos fazê-lo sem consumir nenhuma substância prejudicial ao organismo.    
Existe uma fronteira muito tênue entre o egoísmo e o amor-próprio. Existe um perigo inerente de confundirmos facilmente este "solisticismo" com o "saudável respeito que temos por nós mesmos". Isso nos outros, porque, em nós, não enxergamos nada de errado. E na pressa de sermos justos, imbuídos de nossas paixões e ideologias, esquecemo-nos de ser caridosos e exercer nossa tolerância. E “tolerância é você dar aos outros seres humanos todo o direito que você reivindica para si mesmo”, mas alguns ainda acham que tolerância tem apenas que partir de terceiros, na obrigação de acatar, aturar e gostar de suas ofensas. Mas, infelizmente, temos que lidar com o fato de que tacanhos convictos são tão resistentes em receber e aprimorar educação comportamental, (civilidade), quanto um alcoólatra é  resistente à anestesia local.
E mesmo nós, que não nos consideramos tacanhos, temos nosso momentos de chatice, mas que sejam apenas momentos de nossa fragilidade humana e não uma constante atitude. E tudo que podemos fazer é ser tão pacientes com os momentos alheios o quanto gostaríamos que os outros fossem conosco em nossos momentos de chatice, mesmo que isso não seja reciproco.

Sejamos donos de nossa paz e não permitamos que outros determinem nosso comportamento por meio de meras provocações. É só lembrar-se do que diz em Provérbios 26:4 e 11: “Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia; para que também não te faças semelhante a ele (...). Como o cão torna ao seu vômito, assim o tolo repete a sua estultícia.”

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

POETICE CRÔNICA - a lenda da rosa-flor.



Sinopse: Este livro é uma gostosa viagem poética-romântica, em versos escritos em fases de uma relação, de perspetivas diferentes, pois no mesmo “capítulo” tem poemas que, embora abracem o mesmo tema, mas foram compostos em tempos peculiares (anos diferentes). Enfim o livro, além de versos são compartilhados (nas linhas e entrelinhas) um pouco da experiência do adquirida pelo momento vivido a nos dizer que: com o tempo e a experiência somos capazes de percebemos certas armadilhas, mas a cisma constante nos impede de ver o que é realmente belo.

*Livro para maiores de 16 anos!

Compre aqui o livro 'POETICE CRÔNICA'

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

PROSA CRÔNICA - Axiomaticamente Amigo



         

SinopseEsta nova obra além de ser uma coletânea traz textos inéditos que falam sobre amenidades, coisas do cotidiano de uma ótica qual, geralmente, passa despercebida aos nossos olhos, aborda nas entrelinhas, de forma simples, a intimidade e sensibilidade nas relações sociais, emocionais, religiosas, afetivas, tecendo em sua linguagem metalinguística e simbolismo romântico. 
O autor já começa o livro, “brincando” com a capa, usando no título duas palavras sobrepostas (crônica e prosa), onde expressa a hipótese de que irá escrever de maneira natural, ao tempo que, redundantemente, não nos deixa dúvidas que iremos ler crônicas em prosa. Já na imagem, que também é texto visual, observamos uma tarja vermelha sobre os olhos abertos – como se estivesse nos alertando sobre o perigo de julgar precipitadamente, apenas pelo que enxergamos (ver, julgar e agir equivocadamente) ao que todos estão sujeitos.

Boa leitura a todos e a todas!

Compre aqui o livro 'PROSA CRÔNICA'
Padrão (A5 14,8 x 21cm)

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Crítica literária do romance "O Diário de Margô"

Por CONSOLAÇÃO FREITAS


       
Prof. Consolação Freitas, poetisa...
Um diário pessoal muito desperta a curiosidade das pessoas, por ser uma agenda de caráter íntimo que, no relato das experiências cotidianas, revela pensamentos, emoções, desejos, incômodos do diarista. Principalmente porque é característica do ser humano a necessidade de bisbilhotar o outro, de invadir a privacidade alheia.
E um diário sempre remete à ideia de que guarda segredos à sete chaves de alguém que não tem coragem de abri-lo nem mesmo ao seu melhor confidente. E quem não gostaria de possuir as chaves para ter acesso às suas páginas? O autor Henrique Musashi apropriou-se do poder mágico de atração desse gênero textual para escrever o romance “O Diário de Margô” de maneira fascinante, visto que se desnudou do seu universo masculino para historiar as memórias da ficcional personagem Margaret de Médici.
Desse modo, numa sociedade assombrosamente marcada por preconceitos, onde desnecessariamente ainda se perde tempo para delimitar territórios ditos masculinos e femininos, onde estamos longe de conquistar a valorização do outro. O escritor, com toda sua maestria, mostra literalmente como respeitar o sexo oposto, tentando descobrir como pensa, sente e age uma mulher.

Capa, contracapa e orelhas do livro.
Click aqui para saber mais sobre este livro
O processo de criação da personalidade de Margô envolveu as diferentes leituras feitas a partir do olhar aguçado que o escritor lançou às mulheres do seu convívio, por isso ela é uma personagem que pode ser comparada a uma mulher comum, que enfrentou dificuldades para sobreviver e teve de se manter forte para resolver seus conflitos e fazer suas escolhas.
Neste sentido, no livro “O Diário de Margô”, a ficção que tão bem representa a realidade, levanta questões sociais ainda merecedoras de muitas discussões, tais como castidade, sexo, opção sexual, aborto, relacionamentos, religião, fanatismo. As páginas desse diário contêm tanto o desenrolar da vida religiosa de Margô, como revela a sua intimidade em seus pormenores, onde estão descritas cenas picantes dos seus envolvimentos amorosos.
Henrique Musashi mais uma vez enriquece a literatura com uma obra sua digna de leitura, apreciação e aplausos, “O Diário de Margô”. Um livro para quem sabe se deixar seduzir.





terça-feira, 19 de maio de 2015

PERGUNTAS MAIS FREQUENTE SOBRE AS OBRAS LITERÁRIAS DE HENRIQUE MUSASHI

Depois de reiteradas perguntas, dúvidas naturais, sobre minhas publicações (e isso é ótimo, pois significa interesse da parte do leitor) decidi fazer este post para melhor informar sobre as dúvidas mais corriqueiras. 


COMO ADQUIRI-LOS? – Os livros são adquiridos diretamente pelo site da editora Clubede Autores . A forma de pagamento pode ser efetuada pelo boleto bancário ou por qualquer cartão de crédito;

É SEGURO COMPRAR NESTA PÁGINA DA INTERNET? – Sim! Só aceitei trabalhar com esta editora devido a sua seriedade e compromisso com os clientes/leitores. Os livros são entregues via correio e nunca soube de nenhum problema no recebimento de nenhum volume ou de reclamação de clientes;

OS LIVROS SÃO VIRTUAIS (e-book, e-pub)? – Não! Os livros são impressos de forma convencional (offset), ou seja, no papel, pois nada mais gostosos do que o cheiro de um livro novo em nossas mãos. Não disponibilizamos e-book ou e-pub até para evitar a distribuição pirata/gratuita em prejuízo dos direito autorais;

OS LIVROS PARA ADULTOS (+ 18 ANOS) SÃO DE “SACANAGEM”? – Não, as “cenas” de intercurso de natureza sexual estão dentro de um contexto legítimo (não de forma gratuita e sem sentido) assim como em uma novela da TV. Os livros para adultos retratam, de forma realista, o cotidiano das relações normais e naturais entre os gêneros, mas sempre trazem uma “função social” de fazer pensar, questionar, expor problemas sociais e ideias para a solução dos mesmos... São para maiores por conta que o conteúdo é adulto e não para crianças. Então, obedecendo a lei, estipulamos uma idade mínima por motivos lógicos;

SÓ TEM LIVROS PARA ADULTOS? – Também tenho livros para o público juvenil, da série HISTÓRIAS QUE ENSINAM: “O Tigre e a Princesa”, “O Senhor das Máscaras”, “Uma Fábula e um Conto” , "O Elefante e a Anaconda" e outros virão... E todos adequados para o seu devido público;

SOBRE O QUE ESCREVO? (GÊNEROS LITERÁRIOS)  são vários os "meus" gêneros literários : conto, crônica, fábula, poesia, romance/novela e coaching. Veja a lista de livros separadas por gênero clicando neste link!

     POR QUE OS PREÇOS DOS LIVROS VARIAM? – Varia pelo número de páginas, quanto maior o número maior o preço do volume. No site você poderá observar o número de páginas de cada edição;

     E AS PROMOÇÕES?  É a própria editora quem decide quando vai haver promoção. O autor é apenas comunicado quando a empresa o faz. E eu faço questão de comunicar quando elas acontecem.  Mas, se você fizer o cadastro gratuito na página de editora, também irá receber, por e-mail, comunicados sobre promoções e outras novidades;

     PODE ME DAR UM LIVRO (DE GRAÇA)? – Bem que eu gostaria de poder dispor de alguns volumes para distribuir para fãs, amigos e parentes. Mas meu contrato, com a editora, não me dá o direito de receber livros para a distribuição, já que eles se encarregam da distribuição e venda – recebo apenas os direitos autorais, pois não pago por este serviço. Mando para editora o livro pronto (diagramado, corrigido, capas e etc.) e eles se encarregam da impressão e distribuição dos volumes, mediante a demanda, ou seja, não tenho livros impressos comigo;

  VOCÊ DÁ PALESTRA? – Ainda não fui convidado, por nunca ter anunciado esta disposição, mas seria uma honra participar de eventos literários e falar sobre o processo de construção literária ou sobre assuntos pertinente aos meus trabalhos;

   QUEM FAZ AS CAPAS DE SEUS LIVROS?   Sou eu mesmo! Nos meus livros, além de fazer a capas, faço a edição, a iconografia, a revisão (com ajuda de terceiros), a iconógrafia, e todo designer e diagramador, por conta de minha produção literária ser independente e também ofereço estes serviços (preço a combinar); 


     * OUTRAS PERGUNTAS  irei postar à medida que forem sendo feitas e respondidas! Você tem alguma pergunta?
  
* Ah! E não deixem de dar uma olhadinha nas sinopses e folear as primeiras páginas dispostas no site da editora: https://clubedeautores.com.br/authors/70473

Grato por sua atenção e carinho de todos!


C. Henrique Musashi C. Ribeiro


"Pensar é uma necessidade, refletir é um dom, conhecer é uma inspiração. Pense, reflita e conheça tudo a tua volta antes de pré-julgar qualquer coisa.” [Rannier Augusto Conceição]

domingo, 17 de maio de 2015

Livro "O DIÁRIO DE MARGÔ"


Livro do gênero romance/novela.
Click na imagem pra ver a sinopse no site da editora. 


Sedutora é a possibilidade de desnudar os segredos de uma linda mulher contidos nas páginas de um diário que guarda tão bem suas histórias, sentimentos, conflitos, confissões e toda a sua intimidade. O DIÁRIO DE MARGÔ é um excitante romance através do qual o escritor explora as memórias de Margaret de Médici, uma jovem de temperamento forte, para abordar questões como sexo, castidade, aborto, opção sexual, amizades, entre outros dilemas atrelados aos “paradigmas religiosos” com os quais teve contato. Margô enfrenta seus conflitos por descobrir-se incapaz de se submeter às discrepâncias entre os discursos e as práticas existentes entre membros de sua igreja. Este livro simboliza a ideia real, atraente e irresistível de ter um diário pessoal em suas mãos e saborear todas as suas páginas.


“Cada pessoa, independente de sua graça, é um livro aberto, ou bem fechado! E se o SEU LIVRO (diário) fosse aberto em todos os seus pormenores, você teria orgulho ou vergonha do que iriam ler? Lembre-se que seriam expostas até as particularidades mais obscuras, não apenas aqueles que você mostra ou finge não existir, com as quais tenta convencer e quer que os outros acreditem nisso [...]” - HENRIQUE MUSASHI


*Livro para maiores de 18 anos!

Compre aqui o livro 'O DIÁRIO DE MARGÔ'






domingo, 18 de janeiro de 2015

Livro "CRÔNICAS DO BOM VIVER"

  "CRÔNICAS DO BOM VIVER - pegando pesado!" em sua terceira edição!

Sinopse: CRÔNICAS DO BOM VIVER, é um livro que se enquadra no gênero autoajuda, visando contribuir para as práticas de se viver bem, sendo escrito a partir de pesquisas e de experiências vividas ou observadas por Henrique Musashi. O autor trata de temas bem sérios com gostosas pinceladas de humor, entre eles cabe destacar dogmatismo, religião, homossexualismo, aparência, condição financeira, sentimentos, sexo, relações amorosas, filhos, relacionamento com “ex”, educação, linguagem corporal. É um livro muito agradável, com capítulos que podem ser lidos aleatoriamente, escritos num estilo nada entediante. Ele pode te conquistar ou não, porém o escritor não tem a intenção de agradar a todos, mas sim de fazer com que o leitor busque novos caminhos, pois viver exige estar aberto às mudanças. Assim como Henrique Musashi está no mundo para aprender a ser uma pessoa melhor, ele escreve para algumas pessoas deste mundo também aprenderem a ser... E você pode ser uma delas! 

*Livro não recomendado para fanáticos religiosos, moralistas e menores de 18 anos!

Compre aqui o livro 'CRÔNICAS DO BOM VIVER'



Adquira seu exemplar seu exemplar clicando AQUI!

Serviços literários


quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Lançamento do livro "IDIOSSINCRASIAS II!

IDIOSSINCRASIAS II – Espólios em versos e prosas, por HENRIQUE MUSASHI - 2014.


Sinopse: Este livro é uma fascinante coletânea de versos e prosas que o autor, Henrique Musashi, decidiu retirar da sua íntima gaveta e partilhar com os seus estimados leitores. Nestes textos estão impregnados sentimentos de tristeza, amizade, solidão, paixão, amor, desejo, humor e destiladas algumas críticas a comportamentos religiosos, políticos, sociais e culturais baseados na dissimulação, traição, mentira, preconceito, corrupção. Também faz charmosas homenagens a pessoas queridas e torna públicos poemas que lhes foram dedicados por algumas amigas. É mais uma obra organizada com prazer pelo escritor e que todo apreciador de uma boa literatura pode se deliciar ao ler, é um encantamento poético para aqueles de espírito romântico e traz ares de sensibilidade crítica a quem está sempre acessível à reflexão. Leia e deleite-se!

Compre aqui o livro 'IDIOSSINCRASIAS II '



VEJA outras obras literárias
de HENRIQUE MUSASHI!

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

STAR TREK: Capitão Kirk e Spock em Aracati.



Legendando a fotomontagem...



Aracati, data estelar: 21072014...

Assim como em STAR TREK IV o Capitão Kirk e Spock voltaram ao passado, mas, desta vez, para o século XXI. E além de todas as “panes” da nave, o equipamento de áudio da USS ENTERPRISE queimou e só teria uma pessoa, em nosso século, capaz de entender e consertar essa bagunça:
- Quem Capitão?
- Ricardo, filho de "Manezim de Lucileide de Bruno de Afinha"... Ou "Cardo de Lucileide de Manezim de Maria de Marco da Dora".
- Nomes estranhos e peculiares para a mesma pessoa!
- Na verdade, as pessoas no século XX determinavam nomes pela árvore genealógica!
- Fascinante, mas quais as qualificações dele, capitão?
- Não sei... Todas, talvez... É o que a população local me indicou...
- Você tem certeza disso?
- NÃO, SR. SPOCK, mas dizem que ele é o melhor!
- E o que sabemos sobre ele?
- É um lutador e uma espécie de gênio local, sem formação acadêmica em eletrônica, neste século!
- Acha que é seguro, Jim?
- Não sei... Vamos ver se ele nos recebe!
- Isso me parece ilógico, capitão... Procurar ajuda de alguém com base nas idiossincrasias locais!
Capitão Kirk sorri com o canto da boca e diz:
- É tudo que temos... Tenha fé, Sr. Spock!
- Mas...
- Sem “mas”... O “cara é bom” e o serviço é garantido... Ele sabe fazer uma tal de “gambiarra”...
- “Gambi” o que?
-...arra! 
- Não faz nenhum sentido, capitão!
- Faria sentido para a Tenente Uhura, mas não estamos aqui pela linguística!
- Entendo... – disse Spock levantando as sobrancelhas – A propósito, Jim, esse lugar é fascinante!
- Sim, Spock... Chama-se RETIRINHO e é a casa da irmã da pessoa que procuramos. Chama-se Fabiola Emanuelle...
- Ela não tem um nome longo também!
- Não, Spock! As “nomenclaturas finais” é apenas uma maneira de referenciar à linhagem familiar, como já expliquei... A família é “Costa Ribeiro”... O pai é “Manoel Leite Ribeiro” e a matriarca é “Lucileide Ribeiro”, o nome de solteira, da mãe, é "Araujo"...
- Complicado... Mas aqui consta outro sobrenome, um tal de “Musashi”!
- Essa é uma longa história, mas, segundo o Sr. Tchecov, eles estão logo ali...
- Parecem felizes, Jim!
- Sim, estão tomando umas cervejas e comendo “churrasco”! – disse Kirk todo animado – E tem umas garotas bonitas também!
- Isso é bem típico do século XX e XXI... Assar bovinos, suínos, ovinos ou caprinos em brasas encandecestes e tomar bebidas destiladas, ou fermentadas, mas isso foi considerado ilegal em 2030...
- Sim, mas estamos em 2014 e eles são brasileiros, cearenses... Então, se oferecerem algo, aceite e diga “muito obrigado” e não faça desfeita! 
- Mas... Capitão...
- Sem mas... E acho que vou levar umas mil grades dessas “buchudinhas” pra Enterprise!
- Eu prefiro experimentar a tal de cachaça! – disse Spock! 
[...]
Resumindo a história: Kirk e Spock, além de saírem bêbados, obtiveram ajuda de Ricardo José e ainda saíram morrendo de rir das marmotas que viram. 
Nem o Vulcano se controlou no meio da bagunça. Infelizmente Ricardo recusou o cargo na engenharia. como assistente temporário do Sr. Scott, na Enterprise, mas Cap. Kirk deixou o convite em aberto!


FIM?

Do livro IDIOSSINCRASIAS II, de Henrique Musashi.

domingo, 29 de junho de 2014

OBRAS LITERÁRIAS DE HENRIQUE MUSASHI.

OBRAS LITERÁRIAS DE HENRIQUE MUSASHI.

Henrique Musashi - do Aracati/Ceará, para todo Brasil e exterior.

Gênero: Crônica/Coaching



PROSA CRÔNICA - Axiomaticamente Amigo

         
SinopseEsta nova obra além de ser uma coletânea traz textos inéditos que falam sobre amenidades, coisas do cotidiano de uma ótica qual, geralmente, passa despercebida aos nossos olhos, aborda nas entrelinhas, de forma simples, a intimidade e sensibilidade nas relações sociais, emocionais, religiosas, afetivas, tecendo em sua linguagem metalinguística e simbolismo romântico. 
O autor já começa o livro, “brincando” com a capa, usando no título duas palavras sobrepostas (crônica e prosa), onde expressa a hipótese de que irá escrever de maneira natural, ao tempo que, redundantemente, não nos deixa dúvidas que iremos ler crônicas em prosa. Já na imagem, que também é texto visual, observamos uma tarja vermelha sobre os olhos abertos – como se estivesse nos alertando sobre o perigo de julgar precipitadamente, apenas pelo que enxergamos (ver, julgar e agir equivocadamente) ao que todos estão sujeitos.

Boa leitura a todos e a todas!

Compre aqui o livro 'PROSA CRÔNICA'
Padrão (A5 14,8 x 21cm)


CRÔNICAS DO BOM VIVER - Pegando pesado! (3.ª edição)

         
Sinopse: Auspicioso e desmistificador CRÔNICAS DO BOM VIVER é um livro de crônicas que, independente da antipatia de seu autor por determinada categoria de livros (autoajuda), se enquadra no gênero coaching, mas bem diferente do que já conhece. Com linguagem simples, porém recheada de reflexões profundas, onde o autor se expressa como se estivesse em uma conversa informal entre íntimos, "assim como um amigo que se sente à vontade para fazer rir ou apenas usar a acidez da ironia ou do sarcasmo para transmitir suas ideias", mas visando contribuir para as práticas de se viver bem, sendo escrito a partir de pesquisas e de experiências vividas ou observadas por Henrique Musashi. O autor trata de temas bem sérios com gostosas pinceladas de humor, entre eles cabe destacar dogmatismo, religião, homossexualismo, aparência, condição financeira, sentimentos, sexo, relações amorosas, filhos, relacionamento com “ex”, educação, linguagem corporal. É um livro muito agradável, com capítulos que podem ser lidos aleatoriamente, escritos num estilo nada entediante. Ele pode te conquistar ou não, porém o escritor não tem a intenção de agradar, mas sim de fazer com que o leitor, se necessário, a partir de seus próprios questionamentos, busque novos caminhos permeados pela liberdade de suas próprias escolhas. 

*Livro não recomendado para fanáticos religiosos, moralistas e menores de 18 anos!
Compre aqui o livro 'CRÔNICAS DO BOM VIVER'
Padrão (A5 14,8 x 21cm)

Gênero: Conto e fábula


O TIGRE E A PRINCESA - Histórias que ensinam!


Sinopse: Originado do lindo poema “O menino poeta e a princesa menina” – de Henrique Musashi, este é um conto fabuloso que narra uma história de amor entre o príncipe Hu e sua amada, a plebeia Aiyume. Este amor enfrenta o ambicioso e perverso Oni, que se torna rei usurpando o trono e mantendo o casal afastado por meio de forças malignas. Como maldição, a bela Aiyume é mantida prisioneira do Rei Oni, enquanto Hu é obrigado a viver numa cabana no topo de uma colina, sob a forma de homem-tigre, tendo como companheiro Mheo, um sapo bobo e fofoqueiro, que consegue manter vivo o bom humor diante do drama vivido. O conto é narrado de forma poética revelando elementos da sabedoria oriental, nos remetendo a um passado imaginário, mas abordando o comportamento humano cujos ensinamentos são atemporais. Por isso, é indicado para um público infanto-juvenil, visto que ainda encontra-se em formação de valores e dos princípios que norteiam a conduta ética e moral, porém, também recomendado para adultos que são capazes de se encantar com uma bela narrativa e desvendar o seu desfecho.

* Recomendado para todas as idades!


Compre aqui o livro 'O TIGRE E A PRINCESA '
Quadrado (20cm x 20cm)

O SENHOR DAS MÁSCARAS - Histórias que ensinam!


Sinopse: Há muitos séculos, no fictício reino de Bazophia, um afamado forasteiro conquista a admiração e o respeito de todas as pessoas, dos simples camponeses à ilustre nobreza. Sua fama o faz galgar patamares sociais cada vez mais elevados, graças à sua maestria de usar, literalmente, uma máscara para cada ocasião, daí conquistando o título de “O Senhor das Máscaras”. Chega a agradar até mesmo o rei, que mesmo sem ver seu verdadeiro rosto, lhe incumbe da missão de acompanhar todas as facções culturais do seu reino e lhe dar seus pareceres, pondo à sua disposição um pajem, o Hanako – filho de um ferreiro, obrigado a se submeter às vontades de seu amo, – um jovem que pôde observar de perto as artimanhas daquele que deveria ser o seu mestre. Mas da mesma forma que esse homem usou a arte da retórica para se tornar popular, ele a utilizou para disseminar a mentira e a discórdia: será que todas as máscaras deste senhor cairão por terra?O Senhor das Máscaras, é um livro sobre ética que ensina a todos, a sermos sempre autênticos, e com quem não o é, veja nessa história o que pode acontecer.
*Um livro para todas as idades!

* Recomendado para todas as idades!


Compre aqui o livro 'O SENHOR DAS MÁSCARAS'
Quadrado (20cm x 20cm)

O ELEFANTE E A ANACONDA - Histórias que ensinam! 


Sinopse:  Esta é uma fábula que narra o amor platônico entre um elefante e uma serpente que se encontraram num zoológico. Ele, atraído pela beleza, elegância e graciosidade da anaconda, entrega-se cegamente a essa paixão, doando-se impulsivamente aos desejos de sua amada e acaba mudando sua vida para agradar o seu amor, esquecendo até mesmo de seu grande amigo hipopótamo que não gostou das mudanças de comportamento do seu velho companheiro. O enredo aborda situações comuns de forma caricatural, apoiado em fundo moral que serve para adolescentes e adultos meditarem a respeito dos sinais de um “amor verdadeiro” e da confiança que devemos depositar nos conselhos dos velhos bons amigos. Esta peça da literatura infantil, em formato especial (20 cm x 20 cm), é uma bela fábula escrita para todas as crianças, até mesmo para “a criança interior que existe dentro de cada um de nós”, a fim de que aprendamos a pensar nos riscos que corremos quando costumamos agir com certa teimosia e ilusória esperança em nome de uma paixão.

* Recomendado para todas as idades!


Compre aqui o livro 'O ELEFANTE E A ANACONDA'
Quadrado (20cm x 20cm)

UMA FÁBULA E UM CONTO - Histórias que ensinam!


Sinopse: Atendendo a vários pedidos, transformamos dois livros; a fábula “O elefante e a anaconda” e o conto “O Senhor das Máscaras”, em uma só encadernação em formato quadrado (20cm x 20cm), como isso demos origem a séria HISTÓRIAS QUE ENSINAM, que pode ser encarado como outra obra paradidática – dois em um, por se tratar de textos educativos para crianças, jovens e adultos de dois gêneros fascinantes da literatura, escritos com a maestria originalidade do seu autor Henrique Musashi. A fábula, O ELEFANTE E A ANACONDA, conta a história de um paquiderme que se apaixonou por um réptil. Fala-nos das consequências da paixão cega, desenfreada e confusa. Já o conto, O SENHOR DAS MÁSCARAS, discorre essencialmente sobre ética e a honra, que nos leva a máxima popular que a “mentira tem pernas curtas”, onde um estranho aparece em um reino e consegue galgar status usando de artifícios e artimanhas para conquistar as pessoas mais crédulas e desenformadas. Vale a pena ler e compartilhar estas duas histórias simples, mas que trazem uma bela mensagem a ser refletida. *Mantivemos a mesmas ilustrações e capas internas dos textos originais. Boa leitura a todos!

* Recomendado para todas as idades!


Compre aqui o livro 'UMA FÁBULA E UM CONTO'
Quadrado (20cm x 20cm)

Gênero: Poema, crônica e pensamento


POETICE CRÔNICA - a lenda da rosa-flor. 


SinopseEste livro é uma gostosa viagem poética-romântica, em versos escritos em fases de uma relação, de perspetivas diferentes, pois no mesmo “capítulo” tem poemas que, embora abracem o mesmo tema, mas foram compostos em tempos peculiares (anos diferentes). Enfim o livro, além de versos são compartilhados (nas linhas e entrelinhas) um pouco da experiência do adquirida pelo momento vivido a nos dizer que: com o tempo e a experiência somos capazes de percebemos certas armadilhas, mas a cisma constante nos impede de ver o que é realmente belo.



*Livro para maiores de 16 anos!




Compre aqui o livro 'POETICE CRÔNICA'
Padrão (A5 14,8 x 21cm)



SEDUZA-ME! - As nuances do Amor 


Sinopse: A arte da sedução é narrada com todo o romantismo de Henrique Musashi, propiciando aos leitores imergirem nos seus poemas e encontrarem águas claras ou turvas em suas proezas poéticas. Quem deseja conhecer as várias nuances do amor, pode aventurar-se neste livro, onde irá descobri-lo na expressividade das emoções, como desejos e ardências, medos e aflições, encantos e embelezamentos, perdas e separações, paixões e contemplações. Decerto, a leitura poderá despertar impressões variadas, mas todos irão se identificar com muitos de seus versos, pois apesar das experiências pessoais de cada leitor, há um turbilhão de sentimentos pulsando no coração de cada um. Por isso, não tenha medo de enfrentá-los com a ajuda dos instigantes poemas do “Seduza-me – As nuances do Amor”, você poderá encará-los a sós ou na companhia da pessoa amada. Fica aqui o convite!

*Livro para maiores de 18 anos!





Compre aqui o livro 'SEDUZA-ME!'


Padrão (A5 14,8 x 21cm)


SOCIAL CARRASCO - Verso e prosa do escultor de pedras de tropeço 


Sinopse: Nesta edição o escritor, Henrique Musashi Ribeiro, escolheu versos e prosas que falam sobre nossos percalços cotidianos. Da solidão da vida moderna, onde percebemos as novas tecnologias que ao tempo que nos aproxima também nos tornam mais distantes do convívio social, onde muitas vezes somos os “carrascos” em nossos julgamentos tão contraditórios, pela dificuldade que temos em confiar no outro, de nossas críticas com relação à política, a sociedade e a religião, onde nossas frustrações se transformam em fabricas de vilões tão comuns e escondidos em nossas mentes. Um ótimo livro para reflexão. Vale a pena conferir!

*Livro para maiores de 18 anos!
Compre aqui o livro 'SOCIAL CARRASCO'
Padrão (A5 14,8 x 21cm)

IDIOSSINCRASIAS ROMÂNTICAS - As nuances do amor II 


Sinopse: Se você tem um coração pulsando em compasso no peito, é um sinal de vida, porém se ele bate ou já bateu em nervoso, mas feliz descompasso, então é um indicativo de que foi tomado por algumas armadilhas sentimentais. Há quem não saiba o que fazer nessas situações e prefira fugir a qualquer sombra de um romantismo, enquanto o poeta entrega-se às enlevadas artimanhas da alma e traduz em versos os mais sublimes sentimentos. Nas páginas de Idiossincrasias Românticas – As nuances do amor II, o escritor Henrique Musashi descreve seus sentimentos e desejos tão simbólicos, e de forma deslumbrante, toda a poesia nelas contida pode ser confundida com os ensaios da vida real dos seus leitores. Este livro foi constituído em fases nas quais se sobrepõem poemas, e também pensamentos de outros autores, a pintar em suas diferentes nuances o amor – o devoto, sublime, sonhador; o pesaroso, solitário, desenganado; o tímido, incerto, platônico... Portanto, se você deseja fazer uma ótima leitura, sem dúvida esta é uma sugestão ideal e imperdível para os apaixonados por poemas românticos.

* Livro para maiores de 18 anos!


Compre aqui o livro 'Idiossincrasias românticas '
Padrão (A5 14,8 x 21cm)


IDIOSSINCRASIAS II – Espólios em versos e prosas! 


Sinopse: Este livro é uma fascinante coletânea de versos e prosas que o autor, Henrique Musashi, decidiu retirar da sua íntima gaveta e partilhar com os seus estimados leitores. Nestes textos estão impregnados sentimentos de tristeza, amizade, solidão, paixão, amor, desejo, humor e destiladas algumas críticas a comportamentos religiosos, políticos, sociais e culturais baseados na dissimulação, traição, mentira, preconceito, corrupção. Também faz charmosas homenagens a pessoas queridas e torna públicos poemas que lhes foram dedicados por algumas amigas. É mais uma obra organizada com prazer pelo escritor e que todo apreciador de uma boa literatura pode se deliciar ao ler, é um encantamento poético para aqueles de espírito romântico e traz ares de sensibilidade crítica a quem está sempre acessível à reflexão. Leia e deleite-se!

*Livro para maiores de 18 anos!


Compre aqui o livro 'IDIOSSINCRASIAS II '


Padrão (A5 14,8 x 21cm)



Gênero: Romance, novela


O DIÁRIO DE MARGÔ 


Sinopse: Margaret de Médici é uma jovem muito linda, (do tipo que atrai muitos olhares), religiosa, conservadora, de temperamento forte. Perdeu o pai ainda criança e com isso experimentou a pobreza, tornou-se interna em uma ordem religiosa, mas resolve mudar de religião por se achar vivendo em contradição. No entanto, Margô, em sua “nova lei”, enfrenta seus conflitos por descobrir-se uma mulher cheira de fantasias e desejos intensos, incapaz de se submeter às disparidades entre o discurso e a prática existente entre membros desta designação religiosa em questões sobre vida sexual, castidade, aborto, opção sexual e outros conflitos. Sedutora é a possibilidade de desnudar os segredos de uma mulher contidos nas páginas de seu diário que guarda tão bem suas histórias de relacionamentos, sentimentos, conflitos, confissões e toda a sua intimidade.

*Livro para maiores de 18 anos!



Compre aqui o livro 'O DIÁRIO DE MARGÔ'

Padrão (A5 14,8 x 21cm)

FIOREFALSUS - A insensatez das paixões. 


SinopseEste romance/novela narra a trajetória da vida de Jerônimo Poltranazo, um jovem religioso, controversamente radical, cheio de esperanças, sonhos ingênuos em seus relacionamentos desastrosos; à medida que ele vai saindo de sua “zona de conforto” começa a conhecer o mundo e suas facetas, descobrindo, tolamente, que as pessoas não são como “ele gostaria que fossem” e nem como se apresentam. A trama se desenrola mostrando fatos obscuros e os bastidores de uma “religião corporativista” e a político-social relacionada. Este belíssimo romance contém, dentro de um contexto, cenas fortes e de natureza sexual, descrita de forma poética, portanto é um LIVRO PARA ADULTOS. 
*Obs.: Esta obra leva-nos a refletir sobre a importância para a maior atenção dos pais, sobre a necessidade do diálogo ABERTO e SINCERO, que nunca é demais prestar atenção nos próprios filhos, mesmo dando “espaço” e privacidade como indivíduos, principalmente hoje que vivemos em tempos modernos, cheios de “amizades virtuais” que fazemos em nosso quarto às portas fechadas. (Livro não recomendado para menores de 18 anos)

Compre aqui o livro 'FIOREFALSUS'
Padrão (A5 14,8 x 21cm)

* ATENÇÃO: Este livro contém narração de cenas de intercurso sexual, portanto NÃO É INDICADO para menores de 18 anos.


FIOREFALSUS II - Wang e a ética dos Imorais. 


Sinopse: Marco Wang, após seu primeiro divórcio, onde sofrera mais que prejuízos materiais, se torna adepto dos relacionamentos eventuais, “ficando” com mulheres que encarassem seu estilo de “vida de pegador”. E assim foi até conhecer Morgorena, quando surge o interesse em um relacionamento sério e duradouro, dando mais uma chance a um relacionamento estável. Apaixonado e cheio de esperanças Wang muda-se para Aderaldópolis, uma cidade repleta de pessoas tradicionalistas ao tempo que, muitas, fanáticas religiosas e condescendentes com a corrupção local. Tudo ia bem, até começar a sentir-se sabotado, pela família que entrara. Sendo ele um não-cristão, com hábitos peculiares, tendo apenas seus talentos para seu ganha-pão, percebe estar convivendo com um grupo de pessoas terrivelmente perturbadas de mente e espírito, acaba provando das maiores nuances da maldade humana regada com julgamentos levianos. Em meio a tudo isso, dentro do contexto, ele descobre, de forma assustadora, que existe vida após a morte.

Fiorefalsus II é uma leitura proveitosa para quem tem espírito questionador, mas uma leitura terrível para quem não quer se encontrar com a vida como ela é.

* ATENÇÃO: Este livro contém narração de cenas de intercurso sexual, portanto NÃO É INDICADO para menores de 18 anos.


Compre aqui o livro 'FIOREFALSUS II'
Padrão (A5 14,8 x 21cm)







Mapa!

Locations of visitors to this page